O universo é bizarro — um adjetivo complexo, lotado de significados, em ple­na evolução e que significa elegante, ge­neroso, nobre, valente, brioso, insólito, excêntrico, esquisito etc. Os três contos deste livro têm como princípio básico o bizarro e são recheados de extravagân­cias e psicodelismo; além disso, as histó­rias se passam em lugares, imaginários ou não, onde o horror e/ou o terror estão camuflados e à espreita. Aprecie sem moderação.

Por R$24,00 (frete incluso)

Introdução

A língua é viva, neologismos surgem como formigas atacando doces deixados na pia, e bizarro (do espanhol bizarro, do italiano bizzarro) passou por transformações. Bizarro vem sendo atualmente mais usado com um significado novo, por culpa do irmão inglês: bizarre. Esse adjetivo é pouco usado hoje em dia para designar aquele que se destaca pela postura, distinção, elegância; aquele que revela bondade, generosidade; aquele que demonstra arrogância, fanfarronice; e muito usado adjetivando aquele ou aquilo que denota excentricidade, invulgaridade. De qualquer maneira, neste livro, o bizarro se espalha misturado com sensações fortes e umas pinceladas de terror.

Abre o livro a história de uma jovem buscando descanso e refúgio, mas surge uma menina com uma bolsa, nessa bolsa, os órgãos da menina, além de uma raposa azul, um cemitério, abelhas etc. A segunda história remete a algo inspirado em H. G. Wells, com homens-porcos, crianças numa selva e uma escrava tentando fugir dos seus perseguidores. A terceira é mais antiga, talvez anterior ao Renascimento, e uma cabeça bovina atazana um velho, de repente surgirá o horror cinza.

Além dos três contos, também três poemas bem estranhos, portanto, deixe de lado um tanto de lucidez.

Sinopse

O universo é bizarro — um adjetivo complexo, lotado de significados, em ple­na evolução e que significa elegante, ge­neroso, nobre, valente, brioso, insólito, excêntrico, esquisito etc. Os três contos deste livro têm como princípio básico o bizarro e são recheados de extravagân­cias e psicodelismo; além disso, as histó­rias se passam em lugares, imaginários ou não, onde o horror e/ou o terror estão camuflados e à espreita.

Dados técnicos

  • Título: Bizarrices jamais são esquecidas
  • Autor: Flavio P. Oliveira
  • ISBN: 978-85-69423-07-2
  • Revisão: Érica M. Bettoni Hayashibara
  • Formato: Médio (14×21)
  • Número de páginas: 80
  • Papel do Miolo: Pólen Bold 90 g/m²
  • Lançamento: 02/08/2018

: Leia o começo do livro em PDF.