A vizinha do 305, no quarto escuro, uma borboleta tatuada, o trauma. Todos têm amigos imaginários. Ele socorre o senhor Goiabada e o doutor Heriberto Gusmão aceita e aprova a ex-noiva em papelão. O trauma, o verme da goiaba, o avô das incríveis fábulas de sapos cor-de-rosa, misto-quente. Escreva no caderno a pior história de sua vida, recorde o apagado… Ele sente as pessoas desaparecem quando toma os comprimidos, e o marmota não envelhece, a vizinha sorri com malícia; delícia. O ex-padrasto bêbado, a mãe promotora de justiça sendo ameaçada, o fusca e o elefante branco; personagens e/ou personificações de traumas esquizofrênicos.

A Noiva de Papelão

Autor: Flavio P. Oliveira
ISBN: 978-85-69423-01-0
Revisão: Érica M. Bettoni Hayashibara, Samuri Prezzi e Salette D’Acri
Formato: Médio (14×21)
Número de páginas: 160
Papel do Miolo: Pólen Bold 90
Lançamento: (2015) 18/06/2016

—–

 

 

 

Onde Comprar:
Por R$28,00 — (frete incluso no preço, marcadores de páginas e um cartão-poema de brindes). Use o botão direto para o PagSeguro abaixo.



Introdução:

Quando a saudade fala mais alto que a sanidade, seja real ou imaginária, seja duradoura ou evidente… recorre à fotografia impressa em tamanho natural, e borboletas tatuadas ou voando no quarto escuro, um desespero sem tempero, um sequestro, um ex-padrasto vomita na roupa de formando, bêbado, e o avô contando histórias com princesas, sapos cor-de-rosa e mais seres mágicos.

Atendendo ao pedido da irmã mais velha — pirralhinho, pirralhinho —, ele desiste de resistir e visita o médico, em busca de um tratamento capaz de organizar as ideias, separar o joio das alucinações e o trigo da realidade. São três comprimidos por dia — não cuspa seus remédios! — e um desejo imenso por aventuras, misto-quente e carinho. Só que… A pergunta não se cala: como obter carinho e satisfação de uma noiva impressa em papelão? Melhor seria recorrer à vizinha, jovem de sorriso enigmático e dois gatos siameses chamados Caco e Cuco — vovô contava histórias com alecrins e elefantes, nunca com felinos. O médico, doutor Heriberto Gusmão, acredita na possível cura e passa uma tarefa: Escreva no caderno a pior história de sua vida, recorde o apagado.
Quando a história estiver no caderno, ele terá uma certeza e novas incertezas, mas ao menos saberá que as histórias contadas pelo falecido avô ajudam a dar sentido ao mundo real — existe isso de mundo real?

: Leia o começo do livro em PDF.