Manchas

[contos de Terror/Horror e angústia]

organização: Bianck Amorim & Lelienne Ferreira

Uma testemunha se faz presente em todos os crimes, às vezes como resultado, noutras, consequência natural. Há quem vê maldade, o rosto de uma vítima ou a carranca de um ser demoníaco. Não importa se testemunha ou entidade prestes a renascer, manchas estão em todos os lugares. Há manchas no Polo Norte. Há manchas em hospícios e prisões. E há manchas receptáculos, abrigos de entidades.

Quem poderá dizer uma mancha de sangue não traz um tanto de alma ao ser criada?

Um tiro atravessa um coração, espalha sangue e mancha o chão ou uma parede, e nessa mancha não sobra nada da personalidade da vítima? Essa mancha não tem memória?

Use e abuse da criatividade ao imaginar uma história curta com uma ou mais manchas como foco principal e tema central. A mancha pode ganhar vida, ou parecer viva, ou ter uma história por trás dela, como por exemplo uma mancha de sangue. Queremos surpresas, inovação e reviravoltas.

Toda mancha tem uma história para contar.

Nós queremos histórias de Terror/Horror com intenso desenvolvimento do aspecto psicológico, focadas na sensação de insanidade e/ou claustrofobia. Queremos o Terror/Horror do susto iminente. Queremos o Terror do sufoco, de prender a respiração.

Por trás de uma parede manchada, um piso manchado, uma toalha manchada há uma história, às vezes insólita, quase sempre terrível.

E temos o resultado final!

Selecionados: Rodrigo Ortiz Vinholo, Charlitto Ogami, Mario Sergio Ribeiro, Laís Costa, André Martuscelli, Vanessa Martins e Flavio P. Oliveira. Convidados: A.T. Sergio, André Martuscelli, E. C. Reys e Márcio Pacheco.

Manchas – Edital
Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail
Classificado como:                

Deixe uma resposta